quinta-feira, 17 de maio de 2012

Brincadeiras para fazer com o seu bebê


             Todo mundo sabe - ou desconfia - que brincar é algo muito importante para os bebês. Não só para eles se divertirem, mas também para ajudar em seu desenvolvimento. E brincar com os pais é ainda melhor porque promove a interação da família, faz você conhecer melhor o seu filho e o ajuda a se sentir mais seguro e amado. Mas na hora H muitos pais ficam sem saber exatamente o que fazer. Afinal, para brincar, temos de largar o raciocínio de lado e se deixar levar pelo prazer e pela fantasia - algo que desaprendemos como adultos. Uma boa ideia é investir em brincadeiras, músicas e jogos dos quais você gostava quando era criança. Era louca por bonecas? Compre algumas de pano para brincar com o seu bebê. Adorava Os Saltimbancos? Vá atrás do CD para ouvirem juntos. "Quando os pais brincam com prazer, a criança sente e aproveita mais", ensina Maria Ângela Barbato Carneiro, pedagoga e coordenadora do Núcleo de Estudos do Brincar da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

            Conheça abaixo 45 sugestões de atividades para fazer com o seu filho. Elas estão divididas por fases. Quando ele sentar, você pode continuar com as brincadeiras da primeira fase, adaptando-as, e assim por diante. Não esqueça que a capacidade do bebê em se concentrar é muito pequena. Então, quando ele desistir da brincadeira depois de três minutos, não é porque não está gostando, e sim porque já está pronto para a próxima!

Por Mônica Brandão

O que fazer enquanto o bebê não senta
            Ele pode parecer um ser muito passivo, que mal consegue comandar os próprios movimentos, mas já dá, sim, para vocês brincarem juntos.

1. Converse com ele

            Acredite: ouvir a sua voz, o som que mais o acalma no mundo, é uma verdadeira brincadeira. Fale bastante, conte o que está acontecendo a sua volta, explique o que está fazendo, trocando a fralda, dando banho, amamentando... Lógico que ele não entenderá o significado exato, mas captará seus bons sentimentos.

2. Cante
            O bebê vai adorar ouvir sua voz e vai entender que a música é outra forma de comunicação. Relembre as cantigas de roda que sua mãe cantava para você na infância e suas atuais músicas preferidas. Vale tudo desde que você o faça com prazer.

3. Faça caretas
            Bebês adoram olhar rostos e vai adorar ver sua boca, seus olhos e suas mãos em movimentos diferentes. Mesmo que ele não demonstre grandes reações, como dar risadas, ficará entretido tentando entender.

4. Mímicas
            Fazer mímicas para ele também é uma forma de interação. O bebê vai, no mínimo, achar engraçado ver os pais se mexendo de forma diferente.

5. Mostre objetos diferentes
            Mostre a ele objetos como chocalhos, mordedores e móbiles e ensine como eles funcionam. Na frente do bebê, aperte, rode, agite o brinquedo várias vezes. Assim ele aprende como cada coisa funciona. Coloque o acessório perto para que ele tente segurar. Ainda é cedo para conseguir, mas as tentativas são válidas e irão ajudar no seu desenvolvimento motor.

6. Mostre a paisagem
            Bebês adoram janelas! Fique perto do vidro e mostre a paisagem lá fora, as gotas da chuva, o gato da vizinha, o cachorro que passeia na calçada, as flores, os carros e os aviões no céu. Com o tempo, o bebê vai apontar os dedinhos e até reconhecer alguns nomes.

7. Brinque com sua voz
            Em algumas conversas, faça vozes mais grossas e mais finas, fale rápido ou muito devagar, imite os sons dos animais. Talvez você consiga até algumas gargalhadas.

8. Rode, pule
            Segurando o bebê no colo, rode, leve na altura da sua cabeça e desça, pule. Eles vão adorar as novas sensações que esses movimentos proporcionam. Tome cuidado apenas para sempre deixar a coluna e o pescoço apoiados em seus braços. Nada de grandes malabarismos enquanto o bebê não estiver firme.

9. Esconde-esconde
            A tradicional brincadeira de "Cadê? Achou!" é sempre um sucesso. Esconda seu rosto com as mãos ou com um pedaço de pano e brinque bastante. Se o bebê não ficar irritado, vale também esconder o rostinho dele. Além de divertir, seu filho aprenderá que quando algo desaparece, não significa que deixa de existir. O objeto vai e volta. E isso vai ajudá-lo inclusive a aprender que você também vai e volta.

10. Com os dedos
            Outra brincadeira bem tradicional e simples, mas que muita gente esquece: finja que seus dedos são formiguinhas e vá "andando" pelo corpo do bebê. As risadinhas estão garantidas...

11. Pisca-pisca
            Use os olhos para piscar! Pisque devagar, depois rápido, revire os olhos, feche e abra em velocidades diferentes. Os bebês adoram ficar observando essas ações e com o tempo tentarão imitar.

12. Bichinhos
            Deixe o bebê perto de bichinhos de pelúcia de diferentes cores, formatos e texturas para ele conhecer novas sensações táteis e visuais. Encoste o ursinho nele e deixe que sua mãozinha o toque da forma como ele conseguir, por exemplo.

13. Fantoches
            Use os bichinhos também como um tipo de fantoche para conversar e cantar. Os bebês se divertem muito observando os brinquedos criarem vida.

14. Rolar
            Deite ao lado do bebê na cama ou no edredom e estimule os seus movimentos rolando seu corpinho, colocando ele de bruços. Aperte o colchão para seu corpo dar pulinhos, como se estivesse em uma cama elástica. Ele vai amar!

15. Dançar
            Dance com o bebê no colo. Faça isso ouvindo músicas diferentes para alternar movimentos mais rápidos e mais lentos.

            Atividades bacanas para quando o bebê já consegue ficar sentado e começa a engatinhar
            Com o bebê mais firme, as possibilidades aumentam. Seu ângulo de visão muda, ele será capaz de identificar brinquedos maiores e as atividades envolvendo movimentos ficam ainda mais interessantes.

16. Aproxime os brinquedos

            Colocar o bebê sentado no edredom com vários brinquedos em volta é sempre bom. Mas sente ao seu lado, mostre os brinquedos, ensine como eles funcionam. Procure colocar alguns objetos que cabem nas mãozinhas do bebê para ele segurar. Mas nada muito pequeno - o mais seguro é usar o tamanho de uma bola de pingue-pongue como referencia.

17. Variedade
            Na hora de lidar com os brinquedos misture os mais flexíveis (borracha, pano) com os mais rígidos (plásticos duros próprios de brinquedos infantis) para o bebê entrar em contato com vários tipos de desafio. Mostre as cores, os formatos e as texturas diferentes.

18. Empilhar
            Brinque de empilhar coisas juntamente com ele. Pode ser brinquedos próprios para isso ou objetos caseiros com os quais você improvisa. Mostre como colocar um em cima do outro. Talvez demore alguns meses para ele conseguir fazer isso, mas a parte de derrubar tudo com a mãozinha já será uma curtição.

19. Conte histórias
            Conte histórias, sempre pequenas para não cansar a criança, imitando vozes e fazendo caretas. Folhear livros infantis com ilustrações grandes e bonitas também vai diverti-lo, além de estimular sua relação com a literatura no futuro. Existem alguns que oferecem algum tipo de interação, como texturas diferentes, janelas do tipo pop-up e sons.
Mas nada se compara a você contando uma história...

20. Jogar no chão
            Sabe quando o bebê joga algo no chão milhões de vezes para você pegar? Pois é, trata-se de uma brincadeira. não perca a paciência ou tire o objeto da mão dele, achando que o objetivo é irritá-la. Para o bebê, é divertido fazer isso e, mais uma vez, ajuda a perceber que objetos e pessoas podem ir e voltar.

21. Cabanas e túneis
            Quando aprender a engatinhar, o bebê começará a explorar a casa. Os móveis se transformarão em brinquedos também. Participe da brincadeira montando cabaninhas e túneis para vocês passarem por baixo. Lençóis, cadeiras e sofás vão ajudar bastante.

22. Empilhar de novo
            Crianças pequenas adoram colocar coisas em caixas e com o seu bebê não será diferente. Deixe várias disponíveis para ele. Pode ser plástico ou aquela embalagem de algum produto que acabou. Ele vai encher com brinquedos, com colheres, CDs, roupas, qualquer coisa que estiver ao seu alcance. você pode brincar, tirando e colocando junto com ele. Mais uma vez, vale lembrar: cuidado com objetos e brinquedos que não sejam seguros - pequenos demais, que tenham pontas, que cortem etc.

23. Caça ao brinquedo
            Para diverti-lo e também ajudar a fortalecer seus músculos da perna, coloque o bebê sentado em uma extremidade do sofá e fique com o brinquedo na outra. Ele vai tentar pegá-lo. Ou, se o bebê estiver no chão, tentará alcançar você e o brinquedo subindo no sofá.

24. Rolar, apertar, explorar
            Use os brinquedos para várias atividades: mexa em diferentes direções para a criança seguir com o olhar. Estimule o bebê a rolar, apertar e explorar o brinquedo.
Mostre como ele funciona para a criança imitar.

25. Pega-pega
            Já dá para brincar de pega-pega! Se você falar e mostrar que está indo atrás dele, com certeza seu bebê vai desandar a engatinhar na direção contrária, rindo e tentando escapar.

26. Alturas e obstáculos
            Coloque diversas almofadas e travesseiros em cima de um edredom e deixe o bebê rolar para lá e para cá, explorando as alturas e os obstáculos que esses objetos proporcionam. Faça isso no chão - e não em cima da cama -, assim poderá brincar mais relaxada, sem se preocupar com que o bebê caia.

27. Pular
            Pule com o bebê no colo! Eles ainda não sabem fazer isso e adoram o friozinho na barriga que sentem com o movimento!

28. Serra, serra, serrador...
            Lembra do "serra, serra, serrador..."? Pois invista em todas as brincadeiras que seus pais faziam com você quando criança. Essa em particular, por causa dos movimentos, da sua atenção e da canção bacana, é uma das preferidas dos pequenos.

29. Fantasias
            Caso tenha perucas em casa, ou qualquer outro tipo de fantasia, brinque de experimentá-la na frente do bebê, fazendo caras e bocas. Até um simples óculos de sol colocado rapidamente vai fazê-lo rir.

Brincadeiras para quando ele já anda
            Mesmo quando os primeiros passos ainda são inseguros, arrisque movimentos mais amplos e deixe-os fazer quase tudo.

30. Corrida maluca

            As cadeiras são uma delícia nessa fase e ajudam no processo de andar. Empurre com eles para mostrar como se faz. Com o tempo, vocês podem bolar até uma corrida maluca.

31. Pista de dança
            Dance com ele. Não apenas as músicas infantis, mas também as suas preferidas. Apresente vários estilos e vários tipos de movimento.

32. Correr
            O pega-pega continua sendo um sucesso nessa idade. A criança vai adorar correr de você e será capaz até de inverter os papéis e passar a ser a pegadora depois de um tempo.

33. Mais esconde-esconde
            Além do pega-pega, em ritmo devagar, é claro, você pode brincar de esconde-esconde usando bichinhos, bonecos e outros brinquedos. você esconde, mesmo que na frente da criança, e ela tem de ir até o local achar o objeto.

34. No parque
            Use e abuse dos parquinhos. Vá ao escorregador (quando for possível e ele aguentar seu peso) ou segure a criança enquanto ela brinca. Faça isso em todos os brinquedos. Eles vão achar uma delícia ter sua companhia.

35. Para puxar
            Carrinhos ou bichinhos que possam ser puxados por vocês dois sao um sucesso nessa época. Se não tiver pronto, improvise amarrando suas pelúcias preferidas e saia puxando pela casa.

36. Para puxar, parte 2
            Brincadeira parecida com a de cima: passe uma fralda grande ou uma fita em volta da criança e ela se transformará no objeto que você puxa. Mas faça isso com muito cuidado, respeitando a velocidade da criança.

37. Pula, pula
            Tomando cuidado com a segurança, coloque a criança em um local mais elevado (em cima da mesa da cozinha, por exemplo), posicione o seu braço bem perto, sem tocá-la, e estimule com um "pula". Quando ela pular, pegue-a rapidamente.

38. Bolinhas de sabão
            Toda criança fica fascinada com bolinhas de sabão e essa pode ser uma ótima forma de brincar com elas. Vá fazendo bolinhas de forma que elas caiam sobre o seu filho e ele possa andar um pouquinho e pegá-las.

39. Bolas
            Vá a parques, pátios, locais grandes e arejados, onde vocês possam correr, se movimentar de forma mais livre. E leve brinquedos. A bola, por exemplo, passa a ter um papel importante: a criança começa a aprender que pode pegar e jogar de volta para você.

40. Cantigas
            Aproveite as primeiras palavras, mesmo que elas sejam incompreensíveis, e faça duetos, cantando cantigas de roda com o seu filho. "Nana nenê", por exemplo, tem uma melodia e palavras fáceis de decorar.

41. Teatrinho
            Brinque com fantoches. Eles podem ser prontos ou improvisados com panos e bichinhos. O que vale são os movimentos, as histórias e as entonações diferentes da sua voz.

42. Teatro de sombras
            Na hora de dormir (ou em qualquer outro momento que tenha um abajur por perto), brinque de teatro das sombras. Faça formas de coelhinho e outros bichinhos na parede. No final, seu bebê estará tentando fazer também!

43. Carimbos
            Coloque papel kraft no chão, pinte seus pés e suas mãozinhas e saiam fazendo carimbos. Rende uma bela recordação.

44. Gangorra
            Deite no chão, flexione as pernas e coloque seu bebê em cima, fazendo movimentos de gangorra. O friozinho na barr
iga será o máximo para eles.

45. Riscos e rabiscos
            Libere lápis aquarelável ou mesmo tinta e pincel e deixe seu filho pintar você! Sim, é uma delícia. Costas, braços e pernas podem ser ótimos lugares para os rabiscos infantis. Garanta apenas que o material usado saia com água e sabão. E não se esqueça de tirar fotos para o álbum da família.


Fontes: Adriana Friedmann, educadora e autora do livro A Arte de Brincar (Editora Vozes); Andréa Pissaia, fisioterapeuta, empresária e dona da loja Meu Pé de Brinquedos (SP); e Maria Ângela Barbato Carneiro, pedagoga e coordenadora do Núcleo de Estudos do Brincar da Pontifícia Universidade Católica de Sao Paulo.

Como ajudar as crianças a superar seus medos








          Eles estão ligados a etapas específicas do desenvolvimento, e o modo e a intensidade variam de criança para criança – têm relação com a personalidade dela, a dos pais, entre outros fatores. Com o crescimento e a maturação cognitiva e emocional, seu filho vai encontrando estratégias eficazes para lidar com os medos, mas sua ajuda é fundamental, claro.        
         Conheça alguns dos principais medos, de acordo com a idade do seu filho. E aprenda a lidar com eles:

Os medos e suas fases

ATÉ 7 MESES
De barulhos inesperados e luzes fortes.
- Para ajudar: Evite expor a criança a qualquer estímulo intenso. Se não for possível, faça de maneira suave e verifique como ela reage.

DE 7 MESES A 1 ANO E MEIO
De pessoas, ambientes e objetos novos; de perder os pais, pois acham que pessoas desaparecem quando não estão ao alcance de seus olhos.
- Para ajudar: O pai, a mãe ou o cuidador devem estar presentes quando o bebê for exposto a situações novas.

DE 1 ANO E MEIO A 3 ANOS
Do escuro, de pessoas com máscaras ou fantasias, de ficar sozinho.
- Para ajudar: Ao encontrar alguém fantasiado, aproxime-se devagar e mostre que é apenas uma roupa diferente. Se ele não gostar, não force.

DE 3 A 5 ANOS
De monstros, fantasmas, da escuridão, de animais, chuva, trovão, de se perder.
- Para ajudar: Respeite a criança, permitindo que se expresse, e explique que nada lhe acontecerá de mal. Quanto ao medo de se perder, faça-a decorar o nome inteiro e o telefone de casa e a ensine a pedir ajuda. Ela se sentirá mais segura.

A PARTIR DOS 5 ANOS
De ser deixado na escola, de bandido, de personagens de terror.
- Para ajudar: Insegurança melhora com diálogo. Se o medo for de bandido, reforce, por exemplo, a importância de ficar perto de adultos conhecidos. Para a criança se sentir segura, diga que alguém sempre estará cuidando dela na escola.

A PARTIR DOS 6 ANOS
Da própria morte e da dos pais, pois já a entende como algo irreversível; de ser criticado.
- Para ajudar: Se houver perguntas sobre morte, não invente histórias absurdas, diga a verdade de forma delicada. E quanto às críticas: explique que elas nos ajudam a melhorar.

Fontes: Rita Calegari, psicóloga do Hospital São Camilo, Graziela Zlotnik Chehaibar, psicóloga e terapeuta familiar de São Paulo (SP) e pesquisadora na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

terça-feira, 1 de maio de 2012

Sugestões de Atividades para os professores sobre PSICOMOTRICIDADE

Sugestões de atividades para desenvolver o ESQUEMA CORPORAL
-         Trabalho com espelho: as crianças se observam e também ao colega nomeando as diversas partes do corpo e suas funções;
-         Desenho das partes do corpo, recortes e montagens de bonecos;
-         Colocar roupas em bonecos e despi-los;
-         Tocar no colega identificando, com os olhos vendados as partes do corpo;
-         Movimentar o corpo ao som de músicas;
-         Musicalização envolvendo as partes do corpo;
-         Jogos envolvendo posições e formas criadas com o corpo.

Sugestões de atividades para desenvolver a LATERALIDADE
-         Telefone sem fio;
-         Conduzir a bola com o pé e chutar;
-         Carregar a bola com uma única mão;
-         Imitar: subindo a escada, subindo em ônibus...;
-         Jogar a bola para cima e apanhar com uma das mãos;
-         Pegar o bastão;
-         Olhar pelo buraco de um cone ou papel, como se fossem binóculo;
-         Riscar linhas no chão;
-         Atividades artísticas de recorte e picote;
-         Picar a bola, etc...

Sugestões de atividades para desenvolver a ORIENTAÇÃO ESPACIAL
-         Jogo das setas;
-         Imitação de gestos;
-         Brincadeira dos espelhos;
-         Seqüência de gestos;
-         Fazer linhas no chão quadriculadas e orientar a criança para a direção que devem seguir: para a porta, para a janela, para trás...;
-         Saltar dentro, fora, em cima, longe dos objetos;
-         Variar a posição dos objetos: para cima, deitados, em pé...;
-         Verificar no corpo o que se usa para cima, para baixo...;
-         Correr lateralmente, para trás, etc...

Sugestões de atividades para desenvolver a ORIENTAÇÃO TEMPORAL
-          Fixar na parede cartazes com dias da semana e do mês;
-          Fazer com as crianças um cartaz individual com os dias da semana, neste as crianças/desenharão e farão anotações das atividades que mais gostam;
-          Brinquedos cantados e musicalização;
-          Bandinha musical;
-          Jogos coletivos;
-          Atividades rítmicas;
-          Cartaz com os termos da metereologia;
-         Questionar as atividades que fizeram no dia anterior ou as que fizeram antes do lanche (estão mais próximas),etc...;

MOTRICIDADE AMPLA

A) Sugestões de atividades para desenvolver a COORDENAÇÃO DA DINAMICA GERAL
-         Jogos de pegar;
-         Engatinhar recolhendo objetos;
-         Grandes jogos de movimentos amplos: cachorro maluco, macaco na roda, etc;
-         Pular obstáculos e sem cair;
-         Pular corda;
-         Imitar usando todo corpo, bichos que andam rapidamente e lentamente;
-         Correr entre tacos com passos largos e curtos;
-         Sentar em várias posições
-         Dançar em diversos ritmos;
-          Jogos com pneus, bolas, arcos, cordas, bastões e outros.

B) Sugestões de atividades para desenvolver o EQUILÍBRIO

ESTÁTICO:
-         De aviãozinho com o pé servindo de apoio;
-         Pular sobre uma caixa e permanecer na posição;
-         Colocar um pé para trás e apoiar-se no outro;
-         Ficar igual a uma estátua;
-         Permanecer parado e com os olhos fechados;
-         Manter-se com as nádegas no chão com as mãos e os pés erguidos;
-         Ficar sobre uma plataforma estreita sem mexer-se, etc;

DINAMICO:
-     Caminhar sobre uma linha, nas pontas dos pés, de calcanhar...;
-      Caminhar sobre tacos, tijolos, cordas;
-      Subir sobre uma plataforma em aclive e descer em declive;
-      Saltar com um pé só, pular corda com um pé só;
-      Andar para frente e para trás sobre um obstáculo;
-      Andar sobre linhas curvas e sinuosas com objetos sobre a cabeça;
-   Fazer exercícios dentro dos limites estabelecidos e sobre uma tábua localizada a alguns centímetros do chão;
-     Correr entre obstáculos sem derruba-los, etc;

C) Sugestões de atividades para desenvolver o FREIO INIBITÓRIO

-       Correndo: ao sinal do apito parar;
-       Dançando: quando a música parar, todos deverão parar;
-      Trotando: ao sinal de um som qualquer, ficar rígido;
-      Jogos tipo: batatinha fria 1,2,3...ou Mestre Mandou;,
-      Rotação dos braços para frente a um sinal inverter a posição;
-      Músicas com paradas bruscas;
-      Rodar o corpo a um sinal, parar e inverter os movimentos, etc;

D) Sugestões de atividades para desenvolver a FLEXIBILIDADE

-     Afastamento dos membros inferiores;
-     Flexão do tronco para frente e para trás;
-     Ginástica;
-     Exercícios de polichinelo;
-     Deitado, flexionar pernas e braços para cima tentando uni-los;
-     Imitar bichos e movimento de plantas ao balanço da brisa e da chuva;
-   Ao som da música, mover o corpo e suas partes em diversas direções sem sair do lugar;
-    Andar dois passos e flexionar as pernas ficando de cócoras;etc. 

E) Sugestões de atividades para desenvolver a RELAXAÇÃO

-  Simular situações fantasiosas onde mentalmente a criança passeia, por exemplo: agora somos peixinhos nadando tranqüilamente nas águas do mar, aqui está muito gostoso. A água está batendo nos pés, nos braços...;
-    De olhos fechados sentir as várias partes do corpo;
-    Deitados em silencia, procurar ouvir todos os ruídos externos;
-  De olhos fechados, pensar e formar com os dedos o tamanho do olho direito, da cabeça, da boca e logo após ver se acertou;
-    Cantar canções em tonalidade baixa e lentamente;
-    Imitar com o corpo movimentos do vento, das ondas;
-    Ficar deitados em posição agradável escutando uma melodia calmante;

Sugestões de atividades para desenvolver a MOTRICIDADE FINA
-         Arremessar a bola num alvo pré-determinado;
-         Jogar a bola lateralmente tendo em vista acertar um alvo;
-         Recortes com tesoura;
-         Imitar bancário e mercadista contando dinheiro;
-         Fazer movimentos de pinça e preensão em determinados objetos;
-         Enrolar uma corda e arremessá-la sobre um circulo desenhado no chão;
-         Fazer cestas imitando um jogo de basquete;
-         Rolar a bola até um alvo determinado e depois lança-la para o colega;

Sugestões de atividades para desenvolver HABILIDADES SENSORIAIS

A) DISCRIMINAÇÃO VISUAL:

-      Selecionar os objetos pela cor, destacando-a;
-      Discriminar cartões em diversas formas e tamanhos;
-      Separar tampinhas, botões...
-      Formas conjuntos com objetos da mesma forma e constituição diferentes;
-     Colocar objetos sobre uma mesa, fechar os olhos e dizer o nome dos mesmos;
-    Sobre uma tábua colocar alguns objetos, vendar os olhos da criança e retirar um objeto substituindo por outro, a criança terá que dizer qual objeto que foi trocado;

B) DISCRIMINAÇÃO AUDITIVA:

-   Solicitar que uma das crianças fale quatro nomes de objetos e os amigos irão repeti-los na mesma seqüência ouvida;
-  Através de atividades variadas, levar a criança a sentir e descobrir relações e diferenças entre o silencio e barulho, sons fortes e fracos, agudos e graves, etc;
-  Citar três palavras. Ex: gato, pato, rato. Colocar no flanelógrafo cinco gravuras representando essas palavras citadas e o aluno deverá retirar somente aquelas que representam o som ouvido;
-    Fechar os olhos e ouvir todos os sons externos;
-    Escutar o coração do coleguinha batendo;
-    Atividades de imitação: senhor capitão, preste bem atenção (imitar sons);
-   Discriminar sons gravados: relógio batendo e despertando, colher batendo na madeira, criança chorando, adulto chorando, jogando beijos, gritando; etc...

C) PERCEPÇÃO TÁTIL – TÉRMICA:
-     Apresentar aos alunos tecidos e pedir que diferenciem as texturas;
-    Tocar objetos frios/gelados/quentes e nomear as propriedades;
-    Pegar duas esponjas e perguntar: qual é a mais lisa ou a áspera;
-    Levantar objetos leves e pesados e formem conjuntos segundo as qualidades de peso;
-    Tocar os cabelos do colega e diferenciar a textura e comprimento através do tato;
-     Imitar situações onde a criança simule carregar objetos leves, quentes, grandes, etc...

D) PERCEPÇÃO OLFATIVA:
-    Formar uma coleção com vidros com variados odores para a criança identificar;
-  Levar para sala de aula diversos tipos de flores para que as crianças identifiquem cheiros diferentes e semelhantes;
-   Sentir o cheiro do colega: cabelos, roupas, corpo, etc...
-   Fazer passeios na comunidade e distinguir cheiros característicos de cada local;
- Apresentar a criança frutas, verduras e legumes e pedir que de olhos vendados discriminem e nomeiem os mesmos, etc...

E) PERCEPÇÃO GUSTATIVA:
-   Identificar sabores doces e salgados em frutas e alimentos diversos;
- Pedir que as crianças tragam de casa frutas: limão, banana, laranja, maçã para que identifiquem quais são ácidas e quais não são;
-  Vendar os olhos das crianças e pedir que provem pedaços de alimentos nomeando-os, etc...